Cosmos e taxis (8): organismos e organizações

Ao final do capítulo intitulado "Cosmos e taxis", Hayek discorre sobre os termos usados nos séculos passados para tratar da distinção entre ordens espontâneas e ordens criadas. Segundo ele, no final do século XIX havia uma contraposição entre "organismo" e "organização", contudo não devemos usar o primeiro e o segundo apenas em determinado contexto. Desde a …

Cosmos e taxis (7): as normas das ordens espontâneas e as normas organizacionais

Tendo dito que não seria possível a utilização indiscriminada de qualquer combinação entre ordens espontâneas e organizações, Hayek esclarece que isso acontece porque as normas  utilizadas em cada um dos tipos de ordem possuem diferentes suas características básicas e porque as próprias organizações dependem, em certa medida, também de normas (e não apenas de determinações …

Cosmos e taxis (6): ordem espontânea, indivíduos e organizações

Hayek defende que em qualquer grupo de homens suficientemente numeroso haverá colaboração tanto por meio das ordens espontâneas quanto por meio de organizações [intencionais]. Ele admite que a organização é o método mais poderoso e eficaz para muitas tarefas limitadas, dada a possibilidade de maior controle sobre o resultado da ordem. Contudo, para aquelas ordens …

As duas ordens de Hayek

O texto de estudos do segundo capítulo do volume 1 de Law, Legislation and Liberty de Hayek, chamado "Cosmos and Taxis" está prestes a sair, mas o trabalho ainda não está terminado, de modo que vou colocar o problema central do capítulo neste post introdutório, numa antecipação talvez salutar para uma reflexão inicial. Neste capítulo …