Cosmos e taxis (6): ordem espontânea, indivíduos e organizações

Hayek defende que em qualquer grupo de homens suficientemente numeroso haverá colaboração tanto por meio das ordens espontâneas quanto por meio de organizações [intencionais]. Ele admite que a organização é o método mais poderoso e eficaz para muitas tarefas limitadas, dada a possibilidade de maior controle sobre o resultado da ordem. Contudo, para aquelas ordens …

Cosmos e taxis (4): poder de controle das ordens espontâneas

Hayek diz que uma vez que a ordem espontânea resulta da adaptação de elementos individuais a circunstâncias que afetam somente parte deles, e que em sua totalidade não precisam ser conhecidas por ninguém, pois é possível que a ordem se estenda para circunstâncias que nenhuma mente pode compreender por completo. Conseqüentemente, esse conceito tem mais …

Cosmos e taxis (3): características distintivas das ordens espontâneas e seus exemplos na natureza

Aprofundando o estudo dos dois tipos de ordem explicados anteriormente, Hayek passa a tratar de dois aspectos: as propriedades distintivas entre as duas ordens e a ilustração delas com alguns exemplos encontrados na natureza. Em razão de possuirmos a tendência inata de identificar a ordem como sendo a ordem feita (taxis), nosso olhar inevitavelmente busca …